02 setembro, 2007

Setembro: comunicar incerteza

Quem faz ciência sabe que costuma ser atividade longe de exata. Parte-se do conhecido para o desconhecido, ora por rotas tortuosas, ora por becos sem saída. As conclusões nunca são certezas; são saberes prováveis até que algo melhor apareça.

Mas isso tudo desaparece na ciência que chega ao público leigo. Ao ler notícias parece que as descobertas caem prontas no colo dos cientistas e que não resta margem para dúvidas.

Fica aí espaço para muito debate: é importante comunicar a dúvida? É possível?

A foto acima é de io2, em flickr.


Precisamos de sugestões de temas de discussão! Se puserem nos comentários desta postagem, anotarei para o mês que vem.

Esta roda de ciência está aberta a quem queira participar. Se você é um visitante esporádico, ajude a nos iluminar com seu conhecimento ou opinião. Se quiser publicar um texto como parte da discussão, basta mandar uma mensagem para mariamsguimaraes arroba yahoo ponto com ponto br

2 comentários:

Miriam Salles disse...

Oi Maria!
Acho que comunicar a dúvida é necessário e possível, as pessoas precisam saber que a pesquisa é um processo. Esse poderia ser um tema para o blog: como rola esse processo, como é o dia a dia de um sujeito que tem a pesquisa científica no seu fazer diário. Até para ajudar a acabar com essa imagem do cientista como um sujeito meio aloprado que vive dentro de um laboratório e desligado do mundo...
Um abraço

Maria Guimarães disse...

o que é que algo postado por mim em outro lugar está fazendo num blogue fantasma? não entendi - e não gostei.