18 agosto, 2006

Blogues e a dificuldade em divulgar temas de Biologia

Na Roda de Ciência, o tema do mês é a questão do jornalismo científico, divulgação científica, e o papel dos cientistas nessa divulgação. Embora a população leitora de blogues seja pequena, não é tão pequena como isso, e dá para retirar algumas conclusões sobre o real interesse da população pelos temas científicos. Notei que alguns são mais populares que outros. Os meus leitores parecem não se interessar muito por Biologia, o que me incomoda um pouco, pois cerca de 70% das minhas contribuições são sobre esse tema.[leia mais ...]

13 comentários:

Caminhos do Conhecimento disse...

Olá

Foi muito interessante a vossa ideia de criarem este blogue. Vou comentar num post no meu próprio blog e deixo aqui o link, pode ser?

No blog do meu projecto "Caminhos do Conhecimento" divulgo informações sobre ciência, tecnologia, ambiente e sobre a actividade de comunicar / divulgar / popularizar estas áreas. Confesso que pouco escrevo sobre ambiente e muito menos sobre tecnologia. O motivo é a minha formação em Biologia / Ecologia e as minhas preferências pessoais pelas ciências da vida.

No início, só escrevia sobre o que se fazia em Portugal, mas deixei-me disso, porque estava sempre tentada a escrever sobre outros assuntos que se passavam noutros países. As dificuldades de divulgar temas das ciências da vida são óbvios, mas não é por isso que se vai desistir. Para se verem resultados na divulgação de ciência exige-se “paciência de santo” e muita persistência.

Aproveito para explicar por que só escrevi uns três posts sobre Astronomia até agora:

Continua em:
https://caminhosdoconhecimento.wordpress.com/2006/08/18/comentario-ao-rdc-dificuldades-em-divulgar-biologia/

Maria Guimarães disse...

caio,
interessante essa experiência do grande interesse em astronomia. numa postagem recente, o marcelo leite falou sobre uma pesquisa que avaliava interesse do público em temas diversos. astronomia não estava entre os temas mais populares, o que me surpreender - a folha de são paulo, um dos jornais mais lidos do brasil, publica sobretudo astronomia em sua página de ciência.
fiquei impressionada com o número de leitores do cais de gaia! será que o Ciência em dia chega a tanto (suponho que seja ele o blogue de ciência mais lido do brasil)?

Caio de Gaia disse...

Não tenho assim tantos leitores, umas poucas centenas diárias. O que se passa é que as páginas de astronomia acumulam leitores durante cerca de uma a duas semanas daí chegarem a uns quantos milhares.

Essa pesquisa é interessante, pode simplesmente acontecer que a astronomia até nem seja assim tão popular como isso, mas que os entusiastas tenham uma melhor organização e espalhem a informação entre eles de forma mais eficiente. Na verdade muitas das pessoas que chegam às minhas páginas vão ter directamente a uma página específica, directamente de algum tipo de lista de correio. Como se houvesse uma rede de utilizadores que se avisam uns aos outros.

Se esse for o caso será uma questão de tempo, e talvez justifique que façamos algo equivalente a um "blog carnival".

Daniel Doro Ferrante disse...

Oi Caio, Maria,

Só um comentário rapidinho: Vale aqui a mesma ressalva que já fiz pra Ana e pro Osame há um tempo atrás: Statistics. É muito complicado se levar as estatísitcas feitas SEM os arquivos de 'log': Elas têm muito pouco conteúdo.

Fora isso, Caio, um posto muito esclarecedor: E eu que achava que o Marcelo Leite fazia sucesso por abordar temas mais palatáveis como os de natureza biológica. ;-)

Agora, Maria, quanto ao 'bias' da Folha de São Paulo para com a astronomia, isso -- a meu ver -- é coisa de um dos jornalistas de lá, que só está a puxar a agenda dele. ;-)

De qualquer maneira, meu "feeling" pessoal é de que os assuntos mais palatáveis costumam ser mais acessíveis (claro), ao passo que os mais áridos, apesar de menos acessíveis, costumam despertar de modo mais agudo a curiosidade dos leitores. :-) É um equilíbrio bem bacana...

[]'s.

Caio de Gaia disse...

Daniel, a diferença é estatisticamente significativa. Sempre que verifico os logs de 80% a 90% das visitas são para uma página de astronomia. A excepção foi um período em que estive mais de um mês sem colocar astronomia e as visitas cairam a pique.

De qualquer forma o número de visitas não me preocupa, eu instalei o contador mais para perceber por que razão não tinha comentários. Acabou por não ser boa ideia. Não deixa de ser frustante uma página que teve 4000 visitas ter apenas 4 comentários. Pode ter a ver com alguma secura e um certo ar pomposo típico deste lado do Atlântico.

Os brasileiros aí levam vantagem. Quando vejo a facilidade e a descontracção com que a Lúcia Malla fala sobre as aventuras e desventuras dela, mesmo quando escreve sobre ciência, fico com inveja.

Bruno H disse...

Olá Caio de Gaia,

Penso que quanto aos comentários, as pessoas gostem de dar opniões. E, como fica complicado para os leigos dar uma opinião sobre a 'relação de ensino entre as formigas' ou 'se as olvelhas se lembram ou não de rostos', o seu blog (que é ótimo) acaba por carecer de comentários.

Essa é a minha opinião. ;)

Maria Guimarães disse...

bruno,
mas são excelentes oportunidades para sei dizer "peraí, não entendi isso direito", ou "não entendo nada do assunto, mas tou achando isso meio forçado", e por aí vai. para participar de comentários não é preciso necessariamente conhecimento. o que precisa é de vontade de pensar e de aprender! eu volta e meia peço maiores explicações, quando algo me interessou mas não satisfez.

Caio de Gaia disse...

O Bruno tem alguma razão, mas mesmo em coisas que poderiam ser alvo de opinião não tenho comentários. Eu coloquei duas contribuições sobre a nova definição de planeta que esperei gerassem alguma conversa mas ninguém pegou.

A minha teoria é que os comentários são um processo aleatório com probabilidade de alguém escrever algo a cada mil visitas. Tenho que esperar um pouco pois a estatística ainda não é suficiente para convencer o Daniel.

Daniel Doro Ferrante disse...

Oi Caio,

Acho que não me expressei direito... deixa eu me explicar: Quando vc compara seus dados obtidos através do contador que vc instalou e observa algo tão agudo quanto diferenças de 80% ou 90%, certamente vc está observando alguma espécie de "padrão"... mesmo que a estatística não esteja muito bem feita. ;-)

O que eu quis dizer é que não dá pra se valer dessas estatísticas feitas por outros sem que vc tenha acesso aos 'logs' do seu site/blog, pois existem diversos detalhes que têm que ser levados em conta com muito carinho e cuidado. Porém, como vc estava citando números comparados dentro da mesma estatística... vc está mais "salvo" do que estavam a Ana e o Osame.

Quanto a comentários... é difícil de dizer. Apesar de entender as posições do Bruno e da Maria, eu acho que é preciso se encontrar um "meio termo" ('sacred soil, Highlander' ;-) entre se despertar a curiosidade alheia e se motivar o leitor. Ou seja, blogar não pode ser uma atividade com 'hierarquia': "Quem escreve detém o conhecimento, quem lê está aprendendo." Apesar de podermos até não ter esse tipo de posição, às vezes é difícil de passar isso pro leitor. E é esse o grande truque... vc convencer o leitor que ele também é parte integrante dessa jornada. :-)

[]'s.

Caio de Gaia disse...

Daniel, concordo com você. A questão é de facto como evitar ser pomposo e não atemorizar demasiado o leitor. Num blog mais aberto como por exemplo o do Osame fica mais fácil, pois ele bloga sobre ciência mas também sobre outras coisas. Não existe apenas a questão de deixar os leitores exprimirem opiniões, mas eventualmente criarem também alguma afinidade com o dono do blogue.

A questão é o público alvo e o feitio de quem bloga. Há pessoas que não procuram ciência todos dias mas gostam de ser expostas de vez em quando.

Isto está de certa forma relacionado com um comentário da Maria de Guimarães no post acima. Nem sempre é mau manter a ciência num plano menos evidente. Pode fazer-se boa divulgação de ciência mesmo nessas circunstâncias. Os blogues permitem uma grande liberdade e não devemos ficar presos às formas de transmitir ciência mais convencionais. Um blog de viagens como "Uma Malla pelo mundo" (prometo que é a última vez que falo nele neste tema) é um exemplo perfeito de como num blogue se pode (ou não, depende do gosto do dono) falar de ciência de uma forma completamente diferente. É claro que quando se têm fotos de nudibrânquios daquela qualidade fica mais fácil.

Maria Guimarães disse...

concordo com tudo isso aí em cima!

João Carlos disse...

Eu confesso que "trapaceio". Não só traduzo para o português os boletins Physics News Update, como divulgo isso, a cada nova tradução, em diversos Grupos do Orkut... Mas, até agora, a página mais visitada é a tradução do "Crackpot Index" do John Baez.

Lucia Malla disse...

Caio, me surpreende q seus posts mais visitados sejam sobre Astronomia. Interessantíssimo isso. Não deve ser porque o Google te põe lá em cima no tema em português, não? No ranking de páginas & palavras-chave, digo. Porque meu post mais visitado de todos os tempos é sobre geologia (???), graças ao Google e seus mistérios robóticos, não graças ao interesse dos meus amigos q lêem o blog.

Quanto a comentários, um amigo meu que tem blog muito visitado estimou uma vez q de 5 a 10% das pessoas q passam pela sua página comentam, apenas. Ele calculou isso baseado nas estatísticas dele, mas eu percebi q no meu blog há o mesmo padrão de ~5%. O fator q leva as pessoas a comentar é muito aleatório (amizade com o dono, interesse no tema, dúvida, etc.), acho q não dá para ficar utopizando muito. O tema de um post ajuda, mas não é o único fator.

E obrigada de coração: não sabia q vc curtia tanto as minhas viagens na maionese! :-)