07 abril, 2009

Previsível. Replicável. Falseável.

E quem vai ter o primeiro post linkado para a discussão deste mês, não é um dos contribuidores do Roda de Ciência: é meu Scibling Igor Santos do "42".

O Método Científico é o processo pelo qual os cientistas, coletivamente e com o passar do tempo, se aventuram para ajudar a construir uma representação do mundo cada vez mais apurada, confiável, consistente e não-arbitrária.

Tudo o que acontece, se dá por alguma causa natural, que pode ser explicada racionalmente. Não conseguir ver a causa não é o mesmo que a causa não existir (ausência de evidência não é evidência de ausência). Exemplo: passamos alguns milhares de anos sem saber como o Sol se movia ou a Chuva caía. Não víamos a causa, mas ela sempre esteve lá. Se acontece, é natural; se é natural, pode ser explicado; se ainda não é explicado, com perseverança e diligência (e, às vezes, sorte), é passível de ser. Não tema!



Continue lendo aqui. (E não se esqueça: se for comentar, comente tanto lá, como aqui).

6 comentários:

Osame Kinouchi disse...

Oi Igor e João:

Vamos definir pseudociencia primeiro? Proponho a seguinte definição mínima: uma afirmação é pseudocientífica se ela contradiz teorias científicas bem estabelecidas, não dá conta de forma honesta das evidências contrárias (por exemplo, só o faz apelando a teorias conspiratorias) e AO MESMO TEMPO afirma de modo forte que continua a "ser científica".

Assim, se uma corrente filosofica ou escola (ou religiao) nao afirmam ser científicas, entao nao sao pseudocientificias por esta definição: ou seja, elas nao tentaram passar por cientificas (dai o adjetivo pseudo) quando nao o eram.

Neste esquema, a Psicanálise e a Teologia da Libertação não são pseudocientificas, mas a Cientologia e o Espiritismo seriam (apenas na medida que afirmam que possuem bases cientificas que na verdade nao possuem).

Achei o tom do post meio rigoroso, ele elimina a Economia e a Meteorologia como campos cientificos (para nao falar das ciencias sociais) pois em tais áreas nao é possivel fazer previsoes. Ou alguém previu (cientificamente) a crise mundial?

E eu aprendi em "Contra o Método" de Feyrabend e "A Estrutura das Revolucoes Cientificas" de Kuhn que o processo cientifico nao é tao certinho, progressivo e linear assim. Acho que existem práticas metodologicas (usar bons metodos estatísticos etc), mas fica dificil acreditar no Metodo com M maiusculo. Talvez isso ocorra por eu ser um físico teorico que faço modelos baseados em programas de pesquisas anteriores, para desenvolver ideias e questões já colocadas na área, nao em empirismo puro para explicar fenomenos...

Osame disse...

Igor, achei a igualdade natureza = ciencia meio esquisita também, porque os dois lados da equação deveriam ser da mesma natureza, mas de um lado temos ontologia e do outro lado temos epistemologia...
Dê uma olhada em:
http://paginasdefilosofia.blogspot.com/2009/03/onde-esta-verdade.html

Eu acho que se queremos combater a pseudociencia de forma eficaz, como querem os céticos, precisamos ter uma epistemologia e uma filosofia da ciencia mais sofisticadas.

Murray Gell-Mann (inventor da teoria dos quarks) critica o movimento cético em seu livro O Quark e o Jaguar pois acha que o movimento pode degringolar em patrulhamento cientifico. Dado que Gell Man é um conservador (e meu heroi ficaria mais para o anarquista Feynman), essa critica me parece muito séria!

Finalmente, pelo que me lembro, o ceticismo filosofico (Hume) é um movimento que lança dúvidas sobre o conhecimento cientifico. Céticos (filosoficos) não acreditam na Ciencia, vamos dizer assim. Será que o movimento cético precisa mudar de nome ou é a corrente filosofica (antiga!) que precisaria revisar o seu?

Maria Guimarães disse...

osame, isso dava um post em si.

João Carlos disse...

Ahá! Surtiu efeito! A idéia era exatamente essa: quanto mais for rigorosa a definição de "pseudo-ciência", mais diversos campos, perfeitamente legítimos, de estudos científicos poderão ser enquadrados como "pseudo-ciência".

O problema é exatamente este, Osame: cada um faz uma definição pessoal do que seja "pseudo-ciência". Lhe garanto que médicos homeopatas acreditam piamente que estão praticando uma medicina altamente científica.

Só para dar um exemplo: hoje o EurekAlert da AAAS publica uma notícia que diz que pacientes que usaram uma pulseira de acupressura sofreram menos com náusea durante o tratamento de câncer. E o melhor: os pesquisadores acham difícil atribuir o resultado a Efeito Placebo.

Onde se traça a linha entre o que é pseudo-ciência e o que é mera ignorância dos processos que compõem um sistema?... É este o tema em discussão. :D

Osame Kinouchi disse...

Pois é, se o Astrologo disser que o Horóscopo de jornal é apenas um método simbolico de introspecção ou auto-ajuda que usa um procedimento tradicional apenas para gerar novos pensamentos e perspectivas para o dia, não vejo como acusá-lo de pseudociencia (pois ele nao afirmou que era ciencia).

Mas se ele afirma que existem sim conexoes fisicas entre os astros e o psiquismo humano (sejam campos físicos seja o emaranhamento quantico tao na moda depois de Quem Somos Nós 2), então ele será um pseudocientista (na minha definição).

Eu acho que a minha definição é uma definição minima, que deixa de fora as afirmativas nao ontologicas das religiões (ou pelo menos as afirmativas que se querem cientificas), as diversas filosofias, a arte, muito do senso comum, muito das técnicas e mesmo das terapias (psicoterapias ou terapias corporais). Basta que essas terapias não afirmem que sao (ou já sao) científicas. Basta apenas reconhecer isso...

Mesmo assim, a minha definicao pega o Criacionismo, o Inteligent Design e muito da New Age tipo Quem Somos Nós como pseudocientificas. E se o cara acredita que a reencarnação ou UFOs já foi "comprovada científicamente" mas tudo está escondino no ArXiv (digo, arquivo X), entao também ele será um pseudocientista, e nao apenas um religioso...

Acho que essa delimitacao é importante, porque embora a religiao seja um grande concorrente da ciencia em termos de ocupar memeticamente os corações e mentes da populacao, sao as crenças pseudocientificas tipo Homeopatia "cientifica", Ufologia, Deuses Astronautas e Criacionismo "Científico" etc que concorrem com as práticas científicas em seu própio campo, e é aí que a coisa pega ou deveria pegar...

Kinnal disse...

Não existe humildade na ciência
Existe o certo

Uma teoria nasce da seguinte forma

Perguntei a uma pessoa que entende do assunto
O que é teoria ?

Ela respondeu
Pergunta

Fiquei na dúvida e disse
Repita
Ela repetiu
Pergunta

Teoria nasce numa pergunta sobre assunto que não entenda ainda a resposta certa

Por que uma bola jogada para cima ?
É o peso

Sempre cai de volta ?
De uma nova pergunta
Na teoria formada assim